segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Glicemia

Peguei um balde de tinta
e meu pincel...
Hoje eu pinto o céu,
e nada vai me deter...
Hoje eu escolho o sorriso mais bonito
e entro no circo...
Hoje eu calço qualquer solado,
e se você quiser, siga-me!
Hoje sou eu quem acende as estrelas,
ainda que seja dia...
Hoje me chamo Querubim,
ainda não sei falar de mim,
e não estou a procura do fim,
nem de versos ruins...
Hoje sou só disposição
e se você atravessar a rua
eu vou adorar.
Mas, eu sei que pra você já era...
Também não fiz a coisa certa,
e não há alguém disposto a me ensinar.
Hoje eu sou solidão,
e deve haver algo doce nisso tudo...

3 comentários:

Thalita Castello Branco, disse...

"Hoje EU sou solidão,
e deve haver algo doce nisso tudo..."

Há, e está contido na frase.

Mayara disse...

eu acho que até me vi nesse texto.
Boa noite (:

Excalibur disse...

eheheh, parece que sentidos opostos também se atraem...

querubim... solidão?!
ou de certa forma, sempre foram sinônimos?