sábado, 11 de outubro de 2008

Sexta-Feira

Encontrei o pecado numa cesta.
Mas, guardei meu veneno para mais tarde.
Agora não é hora de morrer pela boca.
Ainda mais se tenho as pernas soltas...
Leio muito a seu respeito,
e não me acho em parte alguma.
E, os verbos teus que me encontram,
não são só meus...
Eu sei, meu navio parte às oito,
e não sei se volto,
mas, daí vem a pergunta:
Por que não ir comigo?
Correr por entre os dias das semanas...
Encontrei o pecado no paraíso...
Encontrei o pecado numa sexta.

6 comentários:

Thalita Castello Branco, disse...

Está aí a fruta proibida... E é tão interessante pensar que ela pode, ao contrário do que logo se imagina, unir e abrir novos caminhos...

Não deixe de escrever aqui, viu?
Fico com saudades :)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rafael Costa disse...

A delicia esta na mordida, é preciso ousar e rasgar, aí a gente diz a que veio.

"Vim comê-lo"

Mayara disse...

Eu nunca consigo me livrar dos meus.

Bom dia (:

Ramon de Alencar disse...

...
-E ainda falam que o domingo é santo. Domingo nunca foi santo com as sextas feiras, e as maçã que compramos na feira...

Sempre me pergunte, por que uma maçã? Poderia ser outra fruta.... mas foi uma maçã... Há muitas frutas que lembram mais o pecado do que uma maçã...