quinta-feira, 17 de julho de 2008

Raízes

Tenho os pés cravados no chão
ainda sujos de barro.
Tenho os pés feito raízes,
e é neles que me encontro.
Costumo perder o passo,
tropeço, avanço, descalço,
mas jamais perco o caminho.
Tenho os pés da vaidade,
embora nos olhos haja coragem.
Tenho os pés sobre a terra,
e os olhos ainda perdidos.
Tenho os pés,
embora ainda teime em engatinhar.

3 comentários:

Pluto disse...

Lindo poema, final perfeito.
Gostei muito. Pessoa centrada, enraizada. bom. Adorei

Pluto disse...

Ah! Belíssima foto. Belíssimo olhos de fotógrafa!

Thalita Castello Branco, disse...

Tem mãos também, boas mãos.